terça-feira, 10 de março de 2009

Alma de Poeta.

Alma de poeta vai do roque à bossa
Ou melodia qualquer que consiga expressar
Intimidade sua sem dar vez à prosa
E enquanto há fonema, insiste em rimar


É alma que não tem pressa
De viver os sonhos mais estranhos
Todos os seus pecados confessa
Com a beleza e paixão de gerânios

Quando o vento lhe sopra, versa
E a vida fica mais bela
Sentimentos na chuva dispersa
E os transforma em arco-íris pra ela

Ser poeta é ter em papel e caneta
Homenagem à inspiração
É ver o mundo com os olhos
E enxergá-lo com o coração.

4 comentários:

japoso disse...

nossas almas!
alçando vôos para a eternidade..
adorei o blog, os poemas.. tudo me cabe nesse coração!
(:


beijos

Isley disse...

linda demais, essa é a sua alma... te amo filha.

Rebecca Campos disse...

Oi Carol..
agora que vi que vc havia postado no meu blog..
Obrigada pelo elogio.
Nem sei se a foto é da Regina Spektor.. na realidade eu tava procurando uma foto retrô e elegante.. como eu gosto.. e achei essa...
;D
Adorei seu blog tbm.. vc escreve mto bem!

Rapha Pimentel disse...

vou te linkar!
=*